Guetos Liminares

Guetos Liminares

O Big Data (megadados) revoluciona a forma como vemos as nossas cidades. A exposição Guetos Liminares pretende revelar as ‘linhas de falha’ invisíveis do Porto — um primeiro passo fundamental para uma melhor reconstrução das nossas cidades.Como podemos usar “Big Data” para revelar os padrões mutáveis de segregação das nossas cidades? Através desta exposição da Porto Design Biennale, a CRA-Carlo Ratti Associati e o MIT Senseable City Lab tentam lançar uma nova luz sobre a questão da segregação social no Porto e noutras cidades do mundo. Através da análise de “Big Data” (megadados) que mostra os movimentos das pessoas dentro das fronteiras urbanas, esta exposição propõe uma interpretação alternativa à ideia centenária do gueto. O seu objetivo é o de iluminar as formas subtis e insidiosas como a segregação acontece hoje nas nossas cidades.

Atualmente, após sucessivas ondas de gentrificação e migração interna dentro das cidades, os guetos tornaram-se cada vez mais invisíveis, na medida em que a segregação persiste através de novas dinâmicas. Poderá um olhar tecnologicamente aumentado ajudar-nos a compreendê-los?

Perguntas como esta levam-nos a continuar o nosso esforço para encontrar respostas, à escala global, mas desta vez através da Porto Design Biennale 2021. Partes da geografia urbana da cidade, incluindo as suas “ilhas”, demonstram a criatividade dos portuenses na abordagem das limitações espaciais; mas, por outro lado, expõem também fissuras sociais profundas ao longo das demarcações de classe, uma vez que as comunidades em questão estão fisicamente próximas, mas segregadas na vida quotidiana.

Para melhor compreender as condições contemporâneas no Porto, exploramos os padrões de segregação social do Distrito do Porto antes e durante a pandemia da COVID-19. Com o apoio da solução da Vodafone Portugal – Vodafone Analytics – conseguimos utilizar tweets geolocalizados para mapear as atividades sociais e a paisagem socioeconómica. Guetos Liminares retrata a segregação como uma forma de geografia social que muda ao longo do tempo. As visualizações são apresentadas através de uma instalação física na estação de metro do Campo 24 de Agosto, no Porto, e de uma exposição virtual, acessível a partir de qualquer parte do mundo.

Ao identificar as linhas de falha invisíveis que atravessam o tecido urbano do Porto, Guetos Liminares visa promover uma discussão sobre a forma de alcançar uma melhor coesão social nas nossas cidades.